Feira de Economia Solidária no Espaço Cultural da Barroquinha


Espaço Cultural da Barroquinha, local muito tranquilo para a realização do espetáculo e coquetel

foto de Bruno Almeida/Comunika Press

Em comemoração aos 462 anos da cidade do Salvador, no dia 29 de março, a Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão (Setad) promove de segunda a sexta-feira das 14h às 20h até o dia 30 de março, a Feira de Economia Solidária, no Espaço Cultural da Barroquinha. A Feira apresenta produtos de moda, decoração e utensílios domésticos, confeccionados com variada matéria-prima, a exemplo de tecidos, fibras, palhas, tintas especiais, couro, miçangas, papel e materiais reciclados. Para o secretário Emerson Palmeira, a feira tem o objetivo de gerar emprego e renda para dezenas de artesãos e aproximar do grande público profissionais talentosos, “alguns deles com clientes em outros estados e até no exterior”. Desde a abertura da feira no dia 14, os artesãos expõem e comercializam seus trabalhos. O acesso é gratuito e a coordenação do evento é de responsabilidade da Coordenadoria de Projetos Alternativos para Geração de Emprego e Renda da Setad. A programação será encerrada com a apresentação do Grupo de Samba de Roda das Marisqueiras, de Ilha de Maré. No Campo Grande – Neste sábado e domingo (19 e 20), a Setad levará a Feira para a Praça do Campo Grande onde o público, além de ter acesso à exposição e comercialização dos produtos artesanais, poderá desfrutar de boa música com a apresentação coordenada pelo maestro Fred Dantas, no sábado às 20h, e da Orquestra Juvenil da Bahia (Neojibá) regida pelo maestro Ricardo Castro, no domingo, a partir das 18h. Além de coordenar o evento, a Setad buscou importantes parcerias com instituições que ministram palestras e disponibilizam serviços, a exemplo do Sebrae, que forneceu aos artesãos orientação empreendedora, o Fundo Municipal para o Desenvolvimento Humano e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (Fiema), que promoveu palestra sobre os direitos da mulher e a Secretaria Municipal da Reparação (Semur) com a divulgação do Observatório de Discriminação Racial. Os técnicos da Setad também estão disponibilizando informações e orientação sobre acesso ao crédito e regularização da atividade de artesão, enquanto a Coordenadoria de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria realiza avaliação nutricional com os participantes. A Setad também firmou parceria com a Fundação Gregório de Mattos, que administra o Espaço Cultural da Barroquinha, para que a Feira de Economia Solidária seja realizada no local na última semana de cada mês, até o final de 2011.

http://www.salvador.ba.gov.br

foto: http://www.flickr.com/photos/comunikapress/5244653959/in/photostream/

MP cria comissão para fiscalizar empreendimentos na Baía de Todos os Santos


Terça-feira, 22/03/2011 – 17:56

Salvador – Avaliar e discutir os empreendimentos que serão construídos na Baía de Todos os Santos através de reuniões periódicas é um dos objetivos da ‘Comissão Institucional Permanente da Baía de Todos os Santos’, criada no último dia 18 durante uma reunião realizada no Ministério Público estadual, sob a presidência da promotora de Justiça Cristina Seixas Graça. Segundo ela, que coordena o Núcleo de Defesa da Baía de Todos os Santos do MP, diversas ações já vêm sendo desenvolvidas para garantir as condições de subsistência das comunidades pescadoras artesanais e quilombolas que sobrevivem da pesca e mariscagem na referida baía, mas graves fatos de degradação ambiental vêm gerando prejuízos econômicos e sociais para as comunidades interessadas.

Esses prejuízos foram relatados durante a reunião que teve, entre os participantes, representantes de órgãos e entidades ligadas à defesa do meio ambiente. Diante das denúncias, Cristina Seixas propôs a criação da Comissão que, segundo ela, “terá uma importante atuação na defesa da baía já que propõe um diálogo aberto e o desenvolvimento de ações conjuntas com os envolvidos e interessados nos processos ambientais.” Explica ainda que serão realizadas audiências públicas com todas as comunidades envolvidas, a fim de que o licenciamento ambiental dos empreendimentos seja discutido por todos os interessados no processo, criando melhores condições para a comunidade se capacitar a promover a defesa do meio ambiente.

A comissão criada na semana passada tem como integrantes representantes da Secretaria Extraordinária Estadual da Indústria Naval (Seinp), Instituto do Meio Ambiente da Bahia (Ima), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Secretaria de Pesca e Aquicultura, Ministério da Pesca, Conselho Pastoral de Pescadores, Fundação Cultural Palmares, Conselho de Reserva, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Também participam lideranças das comunidades de Salvador, Ilha de Maré, São Tomé de Paripe, Magogipe, Santo Amaro, Iguape, São Francisco do Paraguaçu, São Brás, Salinas da Margarida, São Francisco do Conde, Caboto, Acupe, Vera Cruz, Itaparica e Cachoeira, tendo o apoio técnico também da Central de Apoio Técnico do MP (Ceat).

FONTE: http://www.jornaldamidia.com.br

Fazendo as malas


A sua viagem é amanhã e você ainda não arrumou nada. E quando abre a mala sobre a cama para começar a acomodar as coisas … parece que todas as suas tralhas são indispensáveis! Calma. Respire fundo e vamos lá. Existem alguns truques que podem ajudar muito nessa hora. Você pode aprender a escolher os seus pertences e arrumar a mala aproveitando todos os espaços, basta um pouco de disciplina e toques de mestres.

Em lilas, as minhas contribuições!

Modelo

  • Ao comprar sua mala, escolha modelos que tenham rodinhas. O formato permite o melhor acondicionamento das coisas e seu transporte é muito mais fácil.
  • É sempre bom personalizar sua mala para que não haja confusão, já que é bem provável que alguma outra pessoa tenha uma do mesmo modelo. Coloque uma etiqueta de identificação, um chaveiro ou um cadeado colorido, por exemplo. Eu coloco um laço azul, berrante. É feio, mas ninguem quer a minha mala!

Bagagem de mão

  • Embale primeiro as coisas que você obrigatoriamente usa no dia-a-dia. Exemplo: remédios, lentes, óculos e etc. Guarde tudo isso na de mão.  é bom levar, na bagagem, uma mini farmacia, com o basico: remédios de uso contínuo (leve junto uma receita), analgésico, antitérmico, antigripal, antialérgico, digestivo, repelente, protetor solar, colírio, acessórios para lentes de contato e pastilha para dor de garganta, além dos produtos de higiene pessoal.
  • Leve também a sua passagem, documentos e uma muda de roupa, afinal, imprevistos sempre podem acontecer.  Particularmente, não levo uma muda de roupa, mas sim uma muda de calcinha e outra par de meias. Por pior que seja o imprevisto, de calcinha nova você está pronta pra tudo!!! hehehe Levo também uma toalhinha, daquelas de lavabo. Nunca tinha usado, até que uma conexao demorou quase 3 vezes o tempo normal (era para ser de 3 horas, virou 9). Tomei um “mini banho” com a toalhinha no banheiro: limpei axilas (com a toalhinha), lavei o rosto, troquei calcinha e meia. Estava pronta para seguir viagem.
  • Os cosméticos e outros produtos líquidos devem ser embalados em sacos plásticos para conter possíveis vazamentos. Você também pode optar por kits em tamanhos reduzidos. A natura tem uma necessaire de viagem que é maravilhosa! tem potes para tudo: hidratante, shampoo, condicionador, creme para as maos, para os olhos…vale a pena o investimento. Comprei no lançamento, em promoção. A necessaire é linda, e ainda pode ser pendurada no banheiro. Mas ela tem que ser despachada, acho que não dá para levar na de mao. SE optar por levar em tamanho normal, não se esqueça de envolver em um saco plastico. Eu sou meio exagerada, eu fecho com o saco plastico, e ainda passo durex na abertura, para evitar qualquer chance de vazamento.
  • Equipamentos eletrônicos – máquinas fotográficas, filmadoras – e outros objetos de valor devem ir na mala de mão também. Verifique a voltagem no destino. Muitas coisas sao bivolts, mas vá que o seu secador de cabelo é 110, e o destino é 220? melhor não arriscar.

Roupas versáteis

  • Na hora de escolher quais roupas levar, não banque a rainha da Inglaterra e lembre-se de que não vai precisar desfilar um modelo diferente por dia.
  • Leve roupas versáteis, que podem ser usadas durante dia ou noite. Evite estampas, pois elas são mais difíceis de combinar e de esquecer (é aquilo que todo mundo repara nas suas fotos…) Quando viajo para lugares frios, levo os acessorios de cores diferentes – vermelho, azul, rosa….nas fotos, o casaco é o mesmo, básico, mas o complemento já transformou em outra roupa.
  • O trunfo são as peças que podem ser combinadas de vários jeitos, como preto e branco e jeans e blusinhas.
  • A grande contribuição da indústria moderna são os tecidos que amassam pouco ou nem amassam, como malhas e microfibras. Não podem faltar!

Arrume a mala

  • Primeiro, no fundo, vão os sapatos, devidamente embalados em saquinhos de tecido.
  • Acima dos sapatos vão as calças. Para que elas não amassem muito, coloque-as com as pernas para fora da mala e só dobre depois de ter colocado todas as outras coisas. Nunca dobre mais do que duas vezes.
  • Em seguida, coloque casacos e paletós, virados do avesso, com as mangas para dentro e dobrados apenas uma vez, ao meio.
  • Agora é a vez das saias e vestidos, também do avesso e com apenas uma dobra.
  • As camisetas e blusinhas vão enroladas, sobre as saias e vestidos.

Inverno

  • Se você está indo para uma filial do pólo-norte ou algum outro lugar frio, ao invés de levar um casaco enorme e pesado, opte por um blazer e um suéter que possam ser usados juntos.

Calçados, meias e roupa íntima

  • Eu sei que é difícil, mas leve apenas um par de sapatos formal, um informal e uma sandália. Todos já devem ter sido usados, para não machucar seus pés. Eu levo poucos sapatos para viagem – você acaba usando os mesmos, e rouba espaço na mala. Na praia, a gente sempre acha A RASTEIRINHA que era o que faltava para completar o vazio interior…é bom deixar espaço para isto!
  • Meias e roupas íntimas devem ser acondicionadas em saquinhos de tela, plástico ou pano e colocadas dentro dos sapatos. poupa um senhor espaço!
  • Os sapatos vão no fundo da mala ou nos vãos que sobrarem.
  • Cintos também devem ser enrolados e colocados nos vãos livres.

Roupas sujas

  • Devem ser colocadas em saquinhos para que não se misturem com as sem uso. Uma ótima opção são aquelas embalagens de lavanderia que têm nos quartos de hotel. Eu brinco que os sacos das compras que fizemos servem nesta hora! Se nao tiver embalagem suficiente, vao as sacolas da viagem mesmo. Há algumas malas que têm 2 partes, e eu adoro a minha (rasgou, tenho que consertar). As roupas sujas nem chegam perto das limpas.

Acessórios

  • Leve poucos acessórios, que combinem com a maioria das roupas, e não leve jóias caras em suas viagens.
  • Echarpes, lenços, cintos, brincos e colares não fazem volume e são fundamentais para criar looks diferentes. Prefira bijuterias, assim você evita transtornos em caso de extravio. Há bijoux lindissimas! Lembro que uma vez, estava com uma amiga no metro de nova york, e umas 3 pessoas vieram perguntar onde ela havia comprado o brinco. A resposta? – NA FEIRA DA TORRE DE TV EM BRASILIA. Com certeza estava mais original do que andar com uma joia da HStern.

Economize a tinturaria

  • Para desamassar as roupas de tecidos leves, pendure-as roupas em um cabide e coloque no banheiro enquanto toma um gostoso banho morno. O vapor ajuda e desamassar as roupas. Ajuda não, o vapor É O CANAL para desamassar roupa!!!!

Mimos, presentes e lembranças

  • Se for a uma viagem de compras ou tiver planos de trazer diversas lembranças – ou até roupas e cosméticos incríveis – de sua viagem, leve uma mala vazia dentro de sua mala. Esta é a diferença: já vi gente desesperada arrumando mala e vendo qeu não ia caber tudo o que comprou…saindo às pressas para ver se comprava ALGUMA COISA, QUALQUER COISA que pudesse acomodar o que tinha que trazer de volta.

Sem encrenca

  • Não esqueça de levar uma caixinha de costura, daquelas bem pequenas, para pregar aquele botão que escapou ou costurar aquele furinho que você não tinha notado. Aqueles kits que vendem em 1,99 quebram um senhor galho.
  • Guarde objetos pontiagudos ou cortantes – como alicates, lâminas ou lixas de metal – na mala que irá despachar, para evitar problemas na hora do embarque. Aqui a questão não é evitar problema: você não embarca com uma simples lixa de unha de metal!!!! Despache tudo o que for (ou parecer) cortante.

– Mas vou levar só isso?!

Se faltar algo, compre quando chegar ao seu destino! A menos que esteja indo para uma ilha deserta ou uma trilha de ecoturismo radical, todos os lugares do mundo têm de tudo! E boa viagem!

fonte: Fonte: www.organizesuavida.com.br
Que tal fazer uma lista do que voce geralmente utiliza para viajar?

Verifique se você vai precisar de:

  • pilhas para tudo o que for eletrônico,
  • câmeras,
  • filmes ou
  • cartões de memória adicionais,
  • um baralho,
  • um livro bom e leve,
  • bloco e caneta,
  • cartões de visitas,
  • telefone celular,
  • lanterna,
  • canivete,
  • informações sobre câmbio, hotel, passagens e aluguel de carro,
  • documentos e cópias,
  • dinheiro,
  • ferro de passar e secador de cabelo (se você não vive sem),
  • bloco,
  • caneta,
  • pente,
  • escova de dentes,
  • barbeador,
  • desodorante,
  • óculos escuros,
  • capa de chuva ou guarda-chuva compactos,
  • chaves,
  • pijamas,
  • relógio com despertador,
  • transformadores,
  • carregadores,
  • adaptadores de tomadas,
  • extensões,
  • ferramentas,
  • roupas de dormir,
  • roupas para compromissos profissionais,
  • roupas de baixo,
  • roupas de lazer,
  • roupas de frio,
  • roupas de praia,
  • calçados.

fonte: Fonte: www.organizesuavida.com.br

DICAS DE VERÃO

Cuidados com o sol
Evite tomar sol entre 11h e 17h (horário de verão), o sol em excesso pode ser muito prejudicial ao organismo, provocando desde queimaduras, manchas e alergias até câncer de pele. Mas o sol na medida certa pode ser bom para o tratamento de doenças de pele, como a psoríase, a dermatite e a seborréia.

Outra boa dica para se proteger do sol é refrescar-se na sombra de um guarda-sol, de uma barraca ou de uma árvore.
Não se esqueça de passar um protetor solar adequado para seu tipo de pele e de tomar bastante líquido.
Mesmo nos dias nublados use sempre filtro solar. Proteja sua pele em todas as atividades ao ar livre.
Cuidados especiais devem ser tomados com crianças de até 6 meses de idade: nada de sol sem protetor solar e muita sombra para eles.
Crianças de mais de 6 meses devem respeitar os horários e utilizar filtro solar 15 ou mais em todo corpo.

Fique atento aos sintomas de Câncer de pele:
Calombos brilhantes, avermelhados, castanhos, rosados ou de várias cores.
Pintas pretas ou castanhas que aumentam de tamanho.
Manchas ou feridas que coçam ou sangram.
Roupas leves no verão.

No verão com calor forte é indicado o uso de roupas leves e simples como camisetas regatas, shorts ou vestidos. Utilize também chinelos, sandálias bem confortáveis e acessórios como bonés, chapéus, viseiras e óculos escuros que irão ajudar na proteção.

Bronzeadores e Protetores Solares
Independentemente do tipo da sua pele, você deve sempre usar um filtro solar adequado e utilizar nossas dicas:

1. Passe o filtro pelo menos meia hora antes de se expor aos raios solares
2. A cada 2 horas faça uma nova aplicação do filtro solar.
3. Não esqueça de aplicar o filtro também nas mãos,orelhas, pálpebras e pés, que recebem a mesma incidência do sol.
4. Utilize também protetor labial e protetores para o cabelo para amenizar os efeitos da água do mar.

Evite manchas na pele
Não manuseie limão e laranja em contato com o sol, pois eles contém substâncias que provocam queimaduras com bolhas e manchas. Após saborear aquela deliciosa caipirinha lave bem as mão e a boca antes de se expor ao sol.

Insetos
Não se esqueça de levar na bagagem um bom repelente, de preferência natural, para que aqueles insetinhos insuportáveis não estraguem sua viagem.

Exercícios na praia
Exercícios na praia são uma prática muito saudável, mas comece devagar, sem exageros e faça alongamento antes pois a areia fofa pode provocar lesões.
Não se esqueça de ingerir bastante líquido e manter o corpo bem hidratado, pois sob sol forte o corpo transpira muito mais.

Andar descalço na praia
Ao andar descalço na praia cuidado com a areia quente e também com as doenças provocadas por larvas ou fungos que se escondem na areia. De preferência use um chinelo leve e confortável.

Cuidados com o mar
Se você não conhece a praia não nade aonde o nível da água ultrapasse a altura do peito, para não ficar a mercê da ação das correntes.
Em dias de ondas fortes evite entrar no mar e procure praias mais abrigadas.
Caso a praia possua salva-vidas peça orientação sobre as condições do mar e os melhores lugares para banho.
Sempre respeite o mar e não ultrapasse seus limites.

Autor: (Desconhecido)
Fonte: (Guiadeprais)
Imagem: (Meramente ilustrativa)

 

Cadê as autoridades?


Comunidades de Ilha de Maré sofrem com poluição ambiental

Pesquisa identifica elevados índices de chumbo no pescado, no sangue e no cabelo de crianças

Por: Leonardo Rattes e Mariana Alcântara

Bananeira

Embora a maioria dos estudos realizados para avaliar o impacto ambiental dos poluentes na BTS (Baía de Todos-os-Santos) tenha como foco a monitorização ambiental, novos estudos incluem a avaliação do risco aos seres humanos. É o caso da pesquisa conduzida pela professora da Escola de Nutrição da UFBA (Universidade Federal da Bahia), Neuza Miranda, que tem como tema A Saúde Ambiental em Ilha de Maré, Salvador-BA: Cenário e Propostas de Remediação. O estudo, realizado em dez povoados de Ilha de Maré, pertencente ao município de Salvador, e situada na região nordeste da BTS, teve como objetivo relacionar a exposição à contaminação ambiental com a dieta de famílias de pescadores e marisqueiras da região.

Para a execução da pesquisa, realizada nas comunidades de Amêndoa, Bananeiras, Neves, Itamoabo, Maracanã, Ponta Grossa, Santana, Praia Grande, Porto dos Cavalos e Martelo, a professora examinou amostras dos mariscos mais consumidos pela população local: o chumbinho (Anomalacardia brasiliana), o sururu (Mytella falcata) e o siri (Callinectes spp.). Além do pescado, o estudo também englobou a análise do sangue e do cabelo de 113 crianças de até seis anos de idade, com a finalidade de traçar um panorama dos níveis de chumbo presentes no organismo da população infantil de Ilha de Maré.

Chumbinho A análise do material coletado indicou que no chumbinho havia até dezesseis microgramas de chumbo por grama do marisco, isto é, uma concentração oito vezes maior do que o índice permitido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). De acordo com o órgão, o limite máximo de chumbo presente nos alimentos deve ser de até 2 µg/g. O diagnóstico no siri e no sururu também ultrapassou os índices considerados toleráveis para a saúde humana, sendo de 2,17 µg/g e 3,19 µg/g, respectivamente.

Já a análise do chumbo no cabelo e sangue das crianças também indicou números alarmantes. Os resultados da pesquisa mostraram que há níveis de até 19,2 microgramas do metal pesado por decilitro de sangue. Os exames no cabelo apontaram que a quantidade de chumbo chega a 21,2 microgramas por grama de cabelo. Os dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) consideram que o limite de concentração deste elemento químico no corpo humano deve ser de no máximo 10 µg.

Neuza Miranda explica que esses resultados apontam que a contaminação por metais pesados já foi incorporada pelo organismo dos moradores de Ilha de Maré por meio da cadeia alimentar. De acordo com ela, o metal pesado é prejudicial à saúde seja qual for a quantidade. “Grandes concentrações de chumbo podem causar inflamação no sistema nervoso central. Níveis baixos podem afetar o desenvolvimento mental e a gestação, além de causar anemias e doenças cardíacas”, informa a nutricionista. Ainda de acordo com ela, as crianças são as maiores afetadas por este tipo de exposição, já que as mesmas absorvem cinco vezes mais componentes químicos do que adultos.

“Grandes concentrações de chumbo podem causar inflamação no sistema nervoso central. Níveis baixos podem afetar o desenvolvimento mental e a gestação, além de causar anemias e doenças cardíacas”, Neuza Miranda, nutricionista

“Uma maneira de amenizar a ingestão de chumbo é diminuir a quantidade de alimentos provenientes do mar e aumentar o consumo de carnes, frango e legumes”, explica a professora. “No entanto, como fazer isto se a principal fonte de sobrevivência destas comunidades pobres é o mar? Pelas observações de campo realizadas ao longo da pesquisa, percebi que as políticas públicas para a segurança alimentar ainda não foram implantadas nessa parte de Salvador, que parece estar esquecida pelo governo em meio ao lucro proveniente das atividades industriais presentes na área”, finaliza.

Risco para a saúde – Com cerca de 8,6 mil habitantes, segundo dados da Administração Regional das Ilhas de Salvador, órgão pertencente à Prefeitura Municipal, a Ilha de Maré é conhecida pelas praias de águas quentes e calmas e pelo artesanato, a exemplo das toalhas de renda de bilro, as cestarias com fibra de cana brava e o tradicional doce de banana na palha, alvo de desejo dos turistas que passam pelo local. No entanto, é a tradição do pescado, da mariscagem e da agricultura familiar que garantem a sobrevivência da população. O desaparecimento de peixes, crustáceos e moluscos tem afetado a vida dos  habitantes da região, que reclamam que a atividade da pesca tem sido prejudicada por conta da poluição.

De acordo com os moradores, os resíduos químicos das indústrias instaladas nas proximidades da ilha estão contaminando o ar e as águas do mar. Marizélia Carlos Lopes (foto ao lado), presidente da Colônia de Pescadores Z-4, de Ilha de Maré, afirma que a população da ilha sofre com constantes odores de produtos químicos trazidos pelos ventos norte e nordeste. “Tem dias que a gente acorda com um forte cheiro de amônia, a nossa garganta coça, os olhos ardem e a pele fica áspera”, diz.

Ela conta que as pessoas que sofrem de problemas respiratórios são os mais afetados. “Foi num dia em que o cheiro de amoníaco estava tão forte, que uma criança de cinco anos passou mal. Ela tinha asma e morreu. Não deu nem tempo de levar no posto de saúde”, lamenta.

“Foi num dia em que o cheiro de amoníaco estava tão forte, que uma criança de cinco anos passou mal. Ela tinha asma e morreu. Não deu nem tempo de levar no posto de saúde” Marizélia Carlos Lopes, presidente da Colônia de Pescadores Z-4

A população de toda a ilha dispõe de um único posto de saúde, uma unidade de Saúde da Família que funciona em Praia Grande. O atendimento de emergência ou urgência inexiste. Quem precisa desses serviços tem que solicitar o auxílio da ambulancha do Samu ou se deslocar para a capital ou Candeias. Marizélia relata que muitas vezes o serviço do Samu demorou para chegar. “Minha mãe teve uma problema na coluna, então liguei para o Samu, mas a lancha só chegou mais de seis horas depois”, relata.

No povoado de Martelo, a marisqueira Maria Helena dos Santos, que tem sua casa distante menos de dez metros dos dutos da Petrobras, informa que também sente os estranhos odores trazidos pelos ventos. “Tem dia de manhã que a gente acorda com uma neblina de pó esbranquiçado e aquele cheiro de urina”.

Hipertensa e mãe de dez filhos, a marisqueira afirma que nunca viu as empresas procurarem os moradores para a realização de trabalhos socioambientais e de esclarecimentos. A falta de informação faz com que a convivência tão próxima dos poços de petróleo gere temores de todos os tipos.  “Eu tenho medo de que aqueles canos explodam com a quentura do sol”, diz.

Vizinha de Dona Maria Helena, a estudante Aline de São Pedro, de 15 anos, confessa que as brincadeiras de infância eram realizadas dentro da área do poço de petróleo. “Eu e meus amigos brincávamos de bola dentro da zona proibida e até hoje os meninos brincam”, diz. Quando questionada sobre as placas de sinalização que avisavam sobre o perigo que corriam, Aline responde: “A gente tinha noção do perigo, mas como não tinha outro espaço pra brincar, era lá mesmo que a gente ficava”.

Além da falta de equipamentos de lazer e esportes, a população de Ilha de Maré (foto ao lado) também padece com a falta esgotamento sanitário. Como o esgoto não é tratado, os dejetos são depositados em fossas cavadas pelos próprios moradores ou, na maioria das vezes, são lançados nos manguezais e no mar. A assessoria de comunicação da Embasa, empresa responsável pelo esgotamento sanitário no Estado, informou que existe um projeto em elaboração para implantação do sistema de coleta de esgoto na ilha, mas sem nenhuma previsão para o início das obras.

De acordo com os moradores, a coleta do lixo é realizada de maneira precária pela Limpurb duas vezes por semana. O pescador Djalma Ernandes, morador da comunidade de Bananeiras, afirma que os agentes de limpeza só coletam o lixo na porta das casas até um determinado ponto do vilarejo. “Eles não pegam o lixo das casas mais distantes, não fazem o serviço completo, não varrem as ruas como fazem em todos os lugares de Salvador”, diz.

Impacto industrial – Nas proximidades da Ilha de Maré, principalmente nas localidades de BananPetrobraseiras, Porto do Cavalo e Martelo, estão instaladas indústrias químicas e também o Porto de Aratu (foto ao lado). Só pelo porto, que dá para ser visto de Bananeiras, de janeiro a outubro de 2010, passaram mais de 4,7 milhões de toneladas de produtos. Para se ter uma ideia do volume do carregamento, no mesmo período, o Porto de Salvador teve uma movimentação de 2,8 milhões de toneladas de cargas.

Entre os produtos que passam pelo porto estão amônia, buteno, nafta, soda cáustica e benzeno. De acordo com informações da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz ), em concentrações altas, por exemplo, na água, a amônia pode causar danos graves, já que o produto interfere no transporte do oxigênio pela hemoglobina dos organismos, podendo causar danos aos peixes, crustáceos e moluscos.

A marisqueira Roquilda José Bonfim conta que alguns moluscos não são mais encontrados, a exemplo do sururu. “Há uns dez anos, a gente pegava até três quilos de marisco por dia. Hoje, não dá quase nada”, declara a marisqueira, que atribui a diminuição do pescado à poluição.

“Há uns dez anos, a gente pegava até três quilos de marisco por dia. Hoje, não dá quase nada”, Roquilda José Bonfim, marisqueira

Entre as indústrias instaladas próximo à ilha está a maior unidade da Dow Química no Brasil, localizada na cidade de Candeias. A fábrica produz óxido de propileno, propilenoglicol, ácido clorídrico, soda cáustica e percloroetileno. O ácido clorídrico, por exemplo, é um produto extremamente corrosivo. A inalação do vapor pode causar ferimentos sérios. O líquido pode causar danos à pele e aos olhos e a ingestão, fatal. O produto é letal para peixes quando a sua concentração ultrapassa 25 µg/L.

A Petrobras também mantém instalações em Ilha de Maré. A Refinaria Landulpho Alves, com sede em São Francisco do Conde, produz propano, propeno, iso-butano, gás de cozinha, gasolina, nafta petroquímica, querosene comum e de aviação, parafinas, óleos combustíveis e asfaltos. A empresa petroleira mantém doze poços de extração em plena atividade na ilha.

Justiça – De acordo com a promotora de Justiça, Cristina Seixas, coordenadora do NBTS (Núcleo Baía de Todos-os-Santos), do Ministério Público, a instituição busca um diagnóstico ambiental da área, que sofre de um processo histórico de ocupação por indústrias, destruição da mata atlântica, entre outros problemas ambientais.

Esse diagnóstico, conforme Cristina, servirá de base para ações conjuntas das promotorias de Justiça que integram as comarcas banhadas pela Baía de Todos-os-Santos: Cachoeira, Candeias, Itaparica, Jaguaripe, Madre de Deus, Maragogipe, Salvador, São Félix, São Francisco do Conde, Saubara e Simões Filho.

A promotora informou ainda que foi instaurado um inquérito civil para apurar as causas da suposta mortandade da fauna marinha e das espécies que dela se alimentam, bem como das causas de supostos danos à saúde de moradores de Ilha de Maré, que seriam decorrentes da poluição ambiental provocada pelas diversas atividades econômicas desenvolvidas na área da Baía de Aratu e seu entorno.

Fotos: Leonardo Rattes

Fuçando:  http://blogjcmeioambiente.wordpress.com

Baba de Saia


Baba das moças(será?)

O sol estava  forte, as meninas resolveram colocar saia !

O baba aconteceu em Botelho – Ilha de Maré,na segunda de Carnaval (07/02/2011), com muita qualidade, com a rivalidade natural e necessária pra fazer sempre de uma simples partida de futebol,  uma verdadeira final de campeonato, rivalidade essa que só cresceu com a presença das Mulheres Maravilhas e as Piriguetes de TI TI TI.
Quanto ao placar…não pude postar porque não fiquei sabendo do resultado, sei que de cerveja bebi umas 1000. rsrsrs. ..Brincadeiras a parte , vou procurar me informar  e postarei o resultado assim que souber, ok?
Vejam as fotos dessas fofuras!
Obs: Fui informada que o placar foi 1×0 para Mulher Maravilha .